DO LADO DE LÁ DA MURALHA, MAS NUNCA EM CIMA DO MURO: O COMPROMISSO ÉTICO E POLÍTICO DAS EDUCADORAS E DOS EDUCADORES SOCIAIS QUE ATUAM COM JOVENS PRIVADOS DE LIBERDADE NA FUNDAÇÃO CASA

Autores

  • Talita Alessandra TRISTÃO Universidade Federal de São Paulo

Palavras-chave:

Jovens privados de liberdade, Educadoras e educadores sociais, Educação não-formal, Instituição total

Resumo

O presente artigo tem como objetivo discutir as maneiras pelas quais as educadoras e os educadores sociais atuam, por meio da educação não-formal, junto às e aos adolescentes em conflito com a lei que cumprem medida de internação na Fundação CASA. Além de estudo bibliográfico pertinente, foram utilizados alguns resultados da dissertação intitulada Educação privada de liberdade: um estudo das práticas pedagógicas utilizadas com adolescentes em conflito com a lei, de minha autoria, defendida em 2019. Também utilizo registros de memória relacionados com a minha atuação como educadora social voluntária em unidades da Fundação CASA. Para este artigo, entrelacei trechos de entrevistas da pesquisa mencionada com estudos mais recentes, para investigar o paradoxo em se pretender algum tipo de educação dentro de uma instituição total marcada pelo racismo de Estado. O artigo indica que educadoras e educadores sociais que atuam na Fundação CASA por meio da educação não-formal, sem vínculo empregatício com a instituição, optaram por essa atividade conscientemente, sendo parte de uma escolha intencional, social e política, tendo em vista que assumem como um compromisso a presença crítica dentro de um espaço opressor com o qual não concordam, mas, enquanto existir, pretendem criar possibilidades de vínculos e resistências junto com as e os jovens privados de liberdade.

Biografia do Autor

Talita Alessandra TRISTÃO, Universidade Federal de São Paulo

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), mestra em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP), jornalista, pesquisadora, educadora social voluntária junto às pessoas privadas de liberdade, libertária e ativista na luta em favor dos direitos humanos e contra as prisões

Sem título, Natália Gregorini, técnica mista

Downloads

Publicado

24-05-2022

Como Citar

TRISTÃO, T. A. DO LADO DE LÁ DA MURALHA, MAS NUNCA EM CIMA DO MURO: O COMPROMISSO ÉTICO E POLÍTICO DAS EDUCADORAS E DOS EDUCADORES SOCIAIS QUE ATUAM COM JOVENS PRIVADOS DE LIBERDADE NA FUNDAÇÃO CASA. Revista Mouro, [S. l.], v. 12, n. 15, 2022. Disponível em: https://revista.mouro.com.br/index.php/Revista_Mouro/article/view/5. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

DEMOCRACIA EM DEBATE