NÓS VAMOS EXPLODIR TUDO

Autores

  • Marcelo VICENTIN Universidade São Francisco
  • Pedro Santos PAVIOTI VICENTIN Universidade Federal do Espírito Santo

Palavras-chave:

Cinema-punk, Lech Kowalski, Botando pra quebrar, Resistência, Cinema independente

Resumo

Este texto busca apresentar a estética do cinema-punk refletindo e dialogando a partir do documentário "Nós vamos explodir tudo", de Lech Kowalski, sobre a revolta dos trabalhadores de uma pequena fábrica francesa. Kowalski, que impulsionou sua carreira cinematográfica na esteira do movimento punk, no final dos anos 1970, mantém e dialoga com a estética punk de fazer cinema, mesmo após 18 filmes e distante 39 anos de seu documentário sobre os Sex Pistols, reafirmando que, indiferentemente de retratar punks ou a pornografia, sempre faz filmes relacionados aos direitos humanos, às lutas cotidianas das pessoas, enquadrando sempre os esquecidos.

Biografia do Autor

Marcelo VICENTIN, Universidade São Francisco

Pós-doutorando pela Universidade São Francisco, bolsa PNPD-Capes; Professor Colaborador da FE-Unicamp; Bacharel em Cinema.

Pedro Santos PAVIOTI VICENTIN, Universidade Federal do Espírito Santo

Graduando em Artes Visuais pela Universidade Federal do Espírito Santo

Drummond Punk – Ramone, Arte digital

Downloads

Publicado

24-05-2022

Como Citar

VICENTIN, M.; PAVIOTI VICENTIN, P. S. NÓS VAMOS EXPLODIR TUDO. Revista Mouro, [S. l.], v. 12, n. 15, 2022. Disponível em: https://revista.mouro.com.br/index.php/Revista_Mouro/article/view/12. Acesso em: 17 jun. 2024.

Edição

Seção

ARTE E REVOLUÇÃO